Google+

sexta-feira, 15 de junho de 2012

Tucanos amordaçam MP mineiro Do bafômetro ao abafômetro

Comentar a postagem

Jornal O Globo desta terça-feira, 12 de junho, traz matéria contundente que demonstra a leniência da Procuradoria-Geral de Justiça de Minas Gerais, na figura do seu chefe-geral, Alceu José Marques, em relação à representação apresentada pelos deputados Sávio Souza Cruz (PMDB) e Rogério Correia (PT), onde pedem investigação sobre os repasses do governo mineiro às empresas que têm entre seus integrantes, familiares do então governador Aécio Neves.



As relações políticas entre Alceu José Marques começaram a ficar explícitas no episódio da Rádio Arco-Íris que, por sua vez, emerge da “lama”, a partir do episódio do bafômetro do Leblon.

  1. Aécio é pego na madrugada do dia 17 de abril de 2011, no Leblon, Rio de Janeiro, dirigindo com carteira vencida, a Land Rover de uma empresa. Recusou-se a fazer o teste do bafômetro e não foi conduzido à delegacia, dando uma “carteirada” na autoridade policial que o abordou.
  2. O escândalo moral e jurídico ganha as redes sociais.
  3. Como Aécio não declarara possuir nenhuma Land Rover, o Minas Sem Censura investiga a origem e os vínculos dele com o citado automóvel de luxo. O carro pertencia a uma frota de carros atípicos de uma rádio mediana em BH: a Arco-Íris. Outros veículos da rádio mineira foram flagrados transitando no Rio de Janeiro, à disposição do senador.
  4. A tal rádio era de propriedade da irmã e da mãe, até dezembro de 2010. Em 28 de dezembro desse ano, essa rádio foi passada a Aécio. Andréa Neves era ordenadora de despesas de publicidade do governo do irmão.
  5. Com essas informações, o bloco Minas Sem Censura representou no Ministério Público, diretamente ao seu “chefe”, Alceu José Marques, solicitando apuração dos fortes indícios de ocultação de patrimônio e improbidade administrativa, já que a triangulação do dia 28 de dezembro era suspeita e a alocação de recursos públicos na rádio dos Neves era evidente.
  6. Atuando como advogado de defesa dos Neves, Alceu José Marques opina pelo arquivamento da representação, inclusive amputando parte de norma que confirmava Andréa Neves como ordenadora de despesas de comunicação do governo liderado pelo irmão Aécio.
  7. Alceu se recusou a responder solicitação do Minas Sem Censura, a qual pedia reconsideração da decisão de Alceu. Logo, o caso estaria aberto. No entanto, a assessoria de imprensa do MPE sempre informava que o mesmo estava arquivado.
  8. PT e PMDB representaram contra Alceu no Conselho Nacional do Ministério Público, indicando fortes indícios de postura omissiva por parte do procurador-geral!
  9. Uma promotoria específica, a de Defesa do Patrimônio, sob a titularidade do dr. João Medeiros, abriu o processo sobre o caso.
  10. Agora se descobre: Alceu Marques avoca para si o caso, para o qual já estava sob forte suspeição de ter adotado postura incompatível com seu cargo. Seria correto, para garantir a isenção formal sobre o caso, que ele não adotasse tal atitude. Que se declarasse impedido, por razões de foro íntimo. O promotor João Medeiros foi enfático: “a PGJ (Alceu Marques) fez uma ginástica argumentativa para justificar esse ato de força.”
Enfim, os deputados Sávio Souza Cruz e Rogério Correia estudam medidas a serem tomadas no caso. Sávio Souza Cruz afirma que “essa é a enésima prova do 'estado de exceção', em Minas Gerais; não seria desonroso se ele se declarasse impedido. Pelo contrário”. Correia, vai mais longe: “Em Brasília, o procurador Gurgel é rápido no gatilho para investigar petistas e membros dos governos Dilma e Lula; mas, lento na apuração de coisas do Cachoeira, Demóstenes etc. Lembro que faz um ano que representamos contra Aécio e Andréa e ele nem sequer se pronunciou a respeito. No Brasil e em Minas, o MP está em vias de se desmoralizar completamente, em face dessas atitudes.”


Leia mais:  http://migre.me/9srcC

Uma aula sobre os governos tucanos de Minas Gerais

Comentar a postagem
Deputado Sávio Souza Cruz, da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, faz uma retrospectiva muito consistente sobre os 10 últimos anos do governo de Minas. Ele aborda o que aconteceu com as finanças de Minas, os servidores, segurança e saúde. Uma aula, um video que não pode deixar de ser visto por qualquer um que se importa com este Estado e para quem quer conhecer um pouco do que ocorre com a politica em Minas. Vale a pena. do Blog Contexto Livre

sexta-feira, 8 de junho de 2012

Aécio Neves fala em "ética" na TV. Risível!

Comentar a postagem


O PSDB começou a exibir nesta semana as suas inserções publicitárias no horário partidário na rádio e TV. Numa delas o cambaleante presidenciável tucano, o senador Aécio Neves, aparece todo maquiado dizendo que tem um "sonho" - "a de que a política possa, um dia, ser o espaço da ética". Na maior caradura, ele garante que o seu partido tem esse firme compromisso. É muito cinismo. Chega a ser risível!
Para reforçar a sua mensagem "ética" o PSDB bem que poderia exibir também as imagens do governador de Goiás, Marconi Perillo, que a cada dia se complica mais na cachoeira de denúncias sobre o envolvimento com o crime organizado. Também poderia prestar esclarecimentos sobre as falcatruas com dinheiro público nas obras do Rodoanel em São Paulo, que envolve o seu "amigo" José Serra. Aécio Neves ainda poderia rechaçar as acusações, que partiram de Minas Gerais, sobre a "privataria tucana" no reinado de FHC. e ainda As CPI´s Bloqueadas para debaixo do Tapete pelo Governador Geraldo Alckmin.  e ainda aproveitar e mostrar sua Admiração por José Arruda
Os tucanos - juntamente com os eternos aliados demos - estão perdidos, sem rumo. Não têm propostas e perderam as suas bandeiras. Mesmo assim, eles insistirão na tecla udenista dos paladinos da ética. Caso a situação de Marconi Perillo se complique de vez, talvez até façam como o DEMo - que já rifou Demóstenes Torres, o seu grande líder. Será que os eleitores brasileiros vão se deixar iludir com a falsa marquetagem?

quarta-feira, 6 de junho de 2012

E aí, Aécio e Anastasia? MPF suspeita de corrupção tucana no Mineirão

Comentar a postagem

E aí, Aécio neves  e Anastasia? MPF suspeita de corrupção tucana no Mineirão
Como se não bastasse a CPI do Cachoeira, os tucanos de Minas caíram na malha fina do MPF por fazer vista grossa a suspeitas de corrupção na reforma do estádio do Mineirão.

A obra no estádio é feita por um consórcio das empreiteiras Construcap, Egesa, e Hap Engenharia, sob concessão do governo mineiro, na forma de parceria público-privada para exploração comercial do complexo esportivo por 25 anos, e precisa ter prestação de contas aprovada pelo TCE-MG (Tribunal de Contas do Estado de Minas Gerais).

O Ministério Público Federal (MPF) recomendou ao BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) que não libere o financiamento para as obras enquanto o  (TCE-MG) não atestar a regularidade das contas e da execução.

O BNDES está pronto para liberar R$ 200 milhões correspondentes a metade do financiamento. Já reteve a liberação por 45 dias, aguardando parecer TCE-MG e até agora nada.

O BNDES cogitou de liberar o dinheiro após os 45 dias, caso o TCE-MG não se manifestasse. O MPF-MG considera “inadmissível que uma empresa pública federal repasse verbas a um empreendimento desse porte sem a certeza de que o projeto e sua execução estejam isentos de vícios ou irregularidades”.

Sem parecer de regularidade do TCE, se o BNDES não libera, pode atrasar obras para a Copa. Se libera, os dirigentes do BNDES podem ficar expostos a responderem por responsabilidade sobre eventuais corrupção alheia do tucanato.

A pergunta que não quer calar é porque o governador Anastasia (PSDB) e os demotucanos que estão no poder no estado, não exigem o parecer da fiscalização do TCE, já que é exigência recomendada desde 2011? É importante para garantir lisura das contas, ainda mais em tempos de acusações de propinas de empreiteiras, como é o caso da Delta no governo de Perillo (PSDB-GO) e dos "60% para o Serra", no Rodoanel. (Com informações do MPF-MG).

terça-feira, 5 de junho de 2012

Aécio Neves mostra lealdade a Perillo, Cachoeira e Demóstenes

Comentar a postagem
O senador Aécio Neves (PSDB-MG) disse na segunda-feira que seu partido precisa ter "serenidade de dar o voto de confiança" ao governador de Goiás Marconi Perillo, também tucano.

Perillo está cada dia mais complicado em seu envolvimento com o bicheiro Carlinhos Cachoeira. É aparelhamento do governo de Goiás pelo bicheiro, é compra da casa com cheques do bicheiro, contas de campanha e pesquisas eleitorais pagas por empresas laranjas do bicheiro, é o COAF detectando dinheiro do governo de Goiás para Cachoeira. Enfim, cada dia tem uma nova bomba explodindo no colo de Perillo.

Mesmo assim, Aécio disse que o amigo goiano "merece crédito" por sua trajetória no PSDB.

Talvez a "trajetória no PSDB" de Aécio também explique esse apoio. Já teve o aparelhamento do governo mineiro com uma sobrinha de Cachoeira, e já se sabe que o bicheiro operava em cidades mineiras.

Aliás os apoios de Aécio andam mal ultimamente.

Ele apoiou Demóstenes Torres (ex-DEM-GO) quando foi descoberta a parceria com Cachoeira: Apoiou o engavetamento de Gurgel.

Apoiou Gilmar Mendes contra Lula.
senador aecio neves psdb mg no senado
Aécio Neves endossa "acabar com a raça de Lula"

Será que o tucano quer aliviar o deputado Eduardo Azeredo no julgamento do mensalão tucano?

Aécio fez acordão com com PMDB, para livrar da convocação da CPI,  Cabral da CPI e convocar Agnelo (Ele telefonou para 3 deputados do PSDB para mudarem o voto)

E agora apoia Perillo, quando deveria estar exigindo explicações convincentes.

Pelo rumo das coisas, já que o voto será secreto, pelo visto, Aécio é um dos 30 votos que Demóstenes diz ter a seu favor, contra sua cassação por quebra de decoro.