Google+

domingo, 30 de dezembro de 2012

Jungmann de PE, Aleluia da Bahia, Zylbertajn (ex-genro de FHC), todos aparelhados na Light por Aécio Neves

Comentar a postagem
Aécio provoca Apagão na Light, aparelhando com políticos demotucanos do racionamento
Aécio Neves provoca Apagão na Light, aparelhando com políticos demotucanos do racionamento
http://www.light.com.br/web/institucional/empresa/conselho/teconselho.asp?mid=8687942772267230
Aécio arrumou uma boquinha na Light para políticos demotucanos que moram na Bahia e em Pernambuco, mesmo a empresa sendo no Rio. O ex-genro de FHC, David Zylbersztajn (PSDB-RJ), que está em todas, também está lá.
Aécio Neves (PSDB-MG), quando era governador, usou a CEMIG para comprar o controle da Light (distribuidora de eletricidade no Rio).

Aparelhou a empresa com políticos compadres do DEM, PSDB e PPS. Resultado: Privataria Tucana e APAGÃO!
Light  terceira pior no ranking do Apagão

Está explicado Aécio ser contra a CEMIG baixar a conta de luz.

Os demotucanos são uma mãe para banqueiros e investidores. Primeiro privatizaram a Light na bacia das almas, dizendo que a iniciativa privada iria investir na empresa. Depois do apagão do racionamento de 2001, depois de subir tarifas, depois que tiraram o lucro sem investir, Aécio Neves (PSDB-MG), quando era governador, comprou de volta o controle da empresa sucateada, ao preço que o Grupo Andrade Gutierrez quis vender.

Mas os problemas não acabaram. A empresa continua sucateada, a terceira pior entre 33 do Brasil no ranking da ANEEL. Bueiros explodiram nas ruas. Vive faltando luz em diversos bairros do Rio e, agora, até nos Aeroportos. É nisso que dá o choque de gestão demotucano.

sábado, 29 de dezembro de 2012

Aécio chama tropa de choque da Privataria Tucana contra queda nos juros

Comentar a postagem
Aécio chama equipe de FHC que derrubou a economia do Brasil para a 13a. posição no mundo.

Aécio chama tropa de choque da Privataria Tucana contra queda nos juros

Brasil ranking mundial FHC Lula
Pib ranking Mundial Brasil FHC Lula
Dados do FMI: http://goo.gl/C6RVL

O senador Aécio Neves (PSDB-MG) tenta tirar a vaca do brejo, no atoleiro em que o PSDB se meteu, mas quando ele está sóbrio, suas ideias são tão ou mais retrógradas do que as de José Serra (PSDB-SP).

Vendo que o discurso da ética se voltará contra o PSDB em 2013 com o julgamento do mensalão tucano, da Lista de Furnas, da "demostenização" de Alvaro Dias, Aécio quer mudar a pauta para a economia, repetindo o erro de José Serra em 2008/2009 ao apostar suas fichas na crise internacional.

Agenda Nova?

Mas começa muito mal. Ele retoma a agenda do fracasso da Privataria Tucana praticada no governo FHC, onde imperaram os banqueiros.

Encontrou-se com 3 ex-membros da equipe econômica do governo FHC, responsáveis pela quebra e decadência do Brasil nos anos 90. Se o Brasil foi mal naquela época, os 3 se deram muito bem, tornando-se banqueiros.

Malan é presidente do Conselho Consultivo Internacional do Banco Itaú. Edmar Bacha também está no Itaú BBA, no Conselho de Administração. O Banco Itaú é o campeão de demissões de bancários, mesmo tendo lucros exorbitantes, e patrocina o "Jornal da Globo". Armínio Fraga gere cerca de R$ 14 bilhões em Fundos de Investimentos na Gávea Investimentos em parceria com o banco J.P.Morgam. A empresa tem como membros do Conselho Consultivo, FHC e o CEO da Abril S.A.. Tudo "em família" do demotucanato.

Todos os 3 que Aécio procurou para "fazer sua cabeça" são ferrenhos críticos da política de redução de juros da presidenta Dilma, por motivos óbvios: é bom para o Brasil e para os brasileiros, mas é ruim para seus lucros. É a cara do PSDB de FHC, e é com essa cara que Aécio vai às urnas em 2014. É a oposição dos sonhos de Dilma e Lula.

Leia também:
- Willian Waack, da TV Globo, aplica conto do vigário no telespectador

terça-feira, 25 de dezembro de 2012

SERRA JÁ SABOTA AÉCIO NEVES ?

Comentar a postagem

sábado, 22 de dezembro de 2012

Rogério Correia: “Valério operou ao mesmo tempo para o Aécio Neves em Minas e o PT em Brasília”

Comentar a postagem
Rogério Correia Valério operou ao mesmo tempo para o Aécio em Minas e o PT em Brasília

Rogério Correia: "Os tucanos tentam sempre
colocar o Nílton Monteiro na conta do PT,
mas o Nílton é cria deles"

Conceição Lemes, Vi o Mundo
 
“Desde a semana passada, quando a Comissão Mista de Controle das Atividades de Inteligência do Congresso aprovou convite para o ex-presidente Fernando HenriqueCardoso  dar explicações sobre a Lista de Furnas, os tucanos estão em polvorosa.

Em discurso no plenário, o senador Aloysio Nunes Ferreira(PSDB-SP) atacou:

– Esta Lista de Furnas é um documento produzido em oficinas criminosas que operam sob o comando do PT com objetivo de atacar a reputação dos adversários, com uma série de nomes de políticos que teriam recebido contribuição ilegal da estatal. Submetida à investigação, a perícia já constatou ser uma fraude. As assinaturas foram falsificadas.

No início de novembro, o PSDB e aliados foram surpreendidos com outra notícia embaraçosa. Dino Miraglia, advogado do lobista Nílton Monteiro, entrou com petição no Supremo Tribunal Federal (STF), solicitando ao ministro Joaquim Barbosa que junte no mesmo inquérito a Lista de Furnas e o mensalão tucano. Alega haver conexão entre os processos, pois envolve as mesmas partes e a mesma forma de fazer caixa 2. Nílton, velho conhecido dos mineiros, denunciou os dois esquemas.

“Os tucanos tentam colocar o Nílton Monteiro na conta do PT, mas o Nílton é cria deles”, diz o deputado estadual Rogério Correia (PT-MG). “O Nílton foi usado pelo Cláudio Mourão para pressionar o Azeredo [Eduardo Azeredo], de quem cobrava uma dívida da campanha eleitoral de 1998. Só que o Cláudio acabou perdendo o controle sobre o Nílton, e o seu relatório com os financiadores da campanha daquele ano e os candidatos beneficiados acabou vazando.”
Entrevista Completa, ::AQUI::
Fonte:BLOG Não deu no Jornal nacional

quinta-feira, 20 de dezembro de 2012

REQUIÃO CHAMA AÉCIO ÀS FALAS: PSDB DISTRIBUIU R$ 150 MILHÕES DE LUCRO A MAIS PARA OS ACIONISTAS PRIVADOS SÓ NO PARANÁ

Comentar a postagem

O senador Roberto Requião (PMDB/PR)  mostra em discurso no Senado que a parceria espúria entre mídia e mercado de capitais está mais atuante do que nunca. O pior é que conta com um lobby formado pelo PSDB dentro do Congresso Nacional. Em certo momento cita o nome de Aécio Neves (PSDB/MG) e mostra o que o partido dele está fazendo.

Para o senador, quem se coloca contra essa proposta moderada da presidenta Dilma Rousseff de redução da tarifa de energia está fazendo  única e exclusivamente a defesa dos sócios privados.


Fonte:http://glaucocortez.com/2012/12/20/requiao-chama-aecio-as-falas-psdb-distribuiu-r-150-milhoes-de-lucro-a-mais-para-os-acionistas-privados-so-no-parana/

"Lista de Furnas" abasteceu "Aécioduto" em R$ 36 milhões

Comentar a postagem
 "Lista de Furnas" abasteceu "Aécio neves" em R$ 36 milhões
Relatório de Danilo de Castro a Dimas mostra como foi distribuído em Minas Gerais os recursos arrecadados pelo esquema denunciado pelo MPF/RJ
Aos poucos vem à tona o porquê que o PSDB mineiro montou um gigantesco esquema midiático, policial, jurídico e judicial para desacreditar e desmoralizar o denunciante da “Lista de Furna”.  Desta “tarefa”, participaram os maiores veículos de comunicação do Estado e do País, diversos Desembargadores, Juízes e promotores que atuam no Tribunal de Justiça de Minas Gerais, além de peritos delegado e advogados  que militam em Minas Gerais.
O esquema foi desmontado e denunciado pelo advogado Dino Miraglia Filho perante o Supremo Tribunal Federal (STF). Dino encontra-se ameaçado de morte, o que o fez solicitar ajuda na OAB/BR, OAB/MG, e vários órgãos de direitos humanos, inclusive OEA. Por este motivo a Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, em sessão pública, transmitida ao vivo para todo o Estado, foi determinado o afastamento do Delegado Márcio Nabak da presidência dos processos de Nilton Monteiro.
Novojornal já havia noticiado que o procedimento investigatório já tramita perante o STF para apurar a atuação deste grupo criminoso denominado “Gangue dos Castros”.
Com a conclusão das investigações pelo MPE e Polícia Federal e indiciamento de Eduardo Azeredo, Maurício Brandão Ellis, Clésio Andrade, Walfrido, Andrea Cassia Guerra, José Inácio, Ricardo Drummond da Rocha e Joaquim Engler Filho, perante o STF, INQ 3530, pelo incêndio criminoso que provocou a explosão de carros e tentativa de homicídio em face de 9 pessoas, sendo que uma delas ficou 40 dias no CTI, começou a ser desmontada a farsa da qual Nilton Antonio Monteiro é vítima desde 2005.
Habilitado como assistente da Procuradoria Geral da República (PGR) no referido inquérito representando a vítima, ele juntou 87 documentos, segundo Dino “os mais graves já juntados na história do Brasil republicano”. Também requereu a distribuição do processo da “Lista de Furnas” por dependência e o processo do ex-deputado Marcelo Caetano, também por dependência, pois se tratam de crimes conexos e com a mesma motivação e envolvimento dos mesmos autores do incêndio criminoso. O advogado ainda requereu o indiciamento de mais 6 pessoas.
Na última sexta feira (14/12), Novojornal teve acesso aos diversos documentos juntados, dentre eles destaca-se uma prestação de contas enviada por Danilo de Castro – em papel timbrado do Governo de Minas Gerais – ao operador do esquema de Furnas, Dimas Fabiano, relatando como foi aplicado o dinheiro recebido na campanha do então candidato Aécio Neves ao governo do Estado de Minas Gerais em 2002.
Fontes da Procuradoria da República informam que o procurador geral, extra oficialmente, já teria relatado ao ministro Joaquim Barbosa a existência de documentos que comprovam o envolvimento do Senador  Aécio Neves ( PSDB-MG) no esquema e este seria o principal motivo a levar o ministro Joaquim Barbosa à avocar o processo que tramita na justiça federal carioca. O senador Aécio Neves, consultado através de sua assessoria, não quis comentar o fato.
Documentos que fundamentam esta matéria

Relatório de Danilo de Castro a Dimas mostra como foi distribuído em Minas Gerais os recursos arrecadados pelo esquema denunciado pelo MPF/RJ

Relatório de Danilo de Castro a Dimas mostra como foi distribuído em Minas Gerais os recursos arrecadados pelo esquema denunciado pelo MPF/RJ por aecio neves

Relatório de Danilo de Castro a Dimas mostra como foi distribuído em Minas Gerais os recursos arrecadados pelo esquema denunciado pelo MPF/RJ por aecio neves

Relatório de Danilo de Castro a Dimas mostra como foi distribuído em Minas Gerais os recursos arrecadados pelo esquema denunciado pelo MPF/RJ por aecio neves

Relatório de Danilo de Castro a Dimas mostra como foi distribuído em Minas Gerais os recursos arrecadados pelo esquema denunciado pelo MPF/RJ por aecio neves

Relatório de Danilo de Castro a Dimas mostra como foi distribuído em Minas Gerais os recursos arrecadados pelo esquema denunciado pelo MPF/RJ por aecio neves

Relatório de Danilo de Castro a Dimas mostra como foi distribuído em Minas Gerais os recursos arrecadados pelo esquema denunciado pelo MPF/RJ por aecio neves

Relatório de Danilo de Castro a Dimas mostra como foi distribuído em Minas Gerais os recursos arrecadados pelo esquema denunciado pelo MPF/RJ por aecio neves

Relatório de Danilo de Castro a Dimas mostra como foi distribuído em Minas Gerais os recursos arrecadados pelo esquema denunciado pelo MPF/RJ por aécio neves PSDB

Relatório de Danilo de Castro a Dimas mostra como foi distribuído em Minas Gerais os recursos arrecadados pelo esquema denunciado pelo MPF/RJ por aecio neves

Relatório de Danilo de Castro a Dimas mostra como foi distribuído em Minas Gerais os recursos arrecadados pelo esquema denunciado pelo MPF/RJ por aecio neves

Relatório de Danilo de Castro a Dimas mostra como foi distribuído em Minas Gerais os recursos arrecadados pelo esquema denunciado pelo MPF/RJ por aecio neves

Relatório de Danilo de Castro a Dimas mostra como foi distribuído em Minas Gerais os recursos arrecadados pelo esquema denunciado pelo MPF/RJ por aecio neves

Relatório de Danilo de Castro a Dimas mostra como foi distribuído em Minas Gerais os recursos arrecadados pelo esquema denunciado pelo MPF/RJ por aecio neves

Relatório de Danilo de Castro a Dimas mostra como foi distribuído em Minas Gerais os recursos arrecadados pelo esquema denunciado pelo MPF/RJ por aecio neves

Relatório de Danilo de Castro a Dimas mostra como foi distribuído em Minas Gerais os recursos arrecadados pelo esquema denunciado pelo MPF/RJ por aecio neves

Relatório de Danilo de Castro a Dimas mostra como foi distribuído em Minas Gerais os recursos arrecadados pelo esquema denunciado pelo MPF/RJ por aecio neves

Relatório de Danilo de Castro a Dimas mostra como foi distribuído em Minas Gerais os recursos arrecadados pelo esquema denunciado pelo MPF/RJ por aecio neves

Relatório de Danilo de Castro a Dimas mostra como foi distribuído em Minas Gerais os recursos arrecadadospor aecio neves pelo esquema denunciado pelo MPF/RJ

Relatório de Danilo de Castro a Dimas mostra como foi distribuído em Minas Gerais os recursos arrecadadospor aecio neves pelo esquema denunciado pelo MPF/RJ

Relatório de Danilo de Castro a Dimas mostra como foi distribuído em Minas Gerais os recursos arrecadadospor aecio neves pelo esquema denunciado pelo MPF/RJ

mensalão mineiro

Relatório de Danilo de Castro a Dimas mostra como foi distribuído em Minas Gerais os recursos arrecadadospor aecio neves pelo esquema denunciado pelo MPF/RJ

Relatório de Danilo de Castro a Dimas mostra como foi distribuído em Minas Gerais os recursos arrecadadospor aecio neves pelo esquema denunciado pelo MPF/RJ

Relatório de Danilo de Castro a Dimas mostra como foi distribuído em Minas Gerais os recursos arrecadadospor aecio neves pelo esquema denunciado pelo MPF/RJ


Relatório de Danilo de Castro a Dimas mostra como foi distribuído em Minas Gerais os recursos arrecadadospor aecio neves pelo esquema denunciado pelo MPF/RJ email novo jornal
Fonte Blog Contexto Livre

sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

Esquema da Lista de Furnas poderia ter migrado. Explicaria Aécio ser contra a conta de luz barata

Comentar a postagem
Deu na Agência Senado:

A Comissão Mista de Controle das Atividades de Inteligência (CCAI), aprovou, nesta quarta-feira (12), requerimento do deputado Jilmar Tatto (PT-SP), líder da Maioria na Câmara dos Deputados, para que o ex-presidente da República, Fernando Henrique Cardoso, seja convidado a prestar esclarecimentos sobre o suposto esquema de corrupção e lavagem de dinheiro para abastecer campanhas políticas do PSDB, no início dos anos 2000, conhecido como “Lista de Furnas”.
Os tolos, a oposição e o PIG vão dizer que o escândalo é antigo, que é retaliação e blá-blá-blá. Será? Independentemente de implicações criminais, o assunto nunca foi explicado, e há um processo em curso no Ministério Público do Rio de Janeiro, porém sem atingir quem tem foro privilegiado (os políticos graúdos). FHC tem mais de 70 anos, idade em que o prazo de prescrição de crimes cai pela metade. Portanto, muito provavelmente, o código penal não o incomodará mais, na maioria dos casos. Poderia falar à nação sobre sua experiência acumulada nesses esquemas, para contribuir com melhorias nos costumes políticos.

Porém, há outro assunto atualíssimo: o que teria a ver a Lista de Furnas com a batalha do senador Aécio Neves (PSDB-MG) e dos governadores tucanos contra a conta de luz barata?

Vamos supor que houvesse alguma "Lista da Cemig", "Lista da Cesp", "Lista da Copel", já que os tucanos perderam o comando sobre Furnas, mas mantém o comando das empresas dos estados que governam.

Se a conta de luz cai, o povo fica com mais dinheiro no bolso, em vez do dinheiro ir para as empresas. Sobra menos dinheiro para pagar fornecedores, que poderiam financiar campanhas tucanas (pode até ser no caixa 1, mesmo). Tem ou não tem sentido?

sábado, 1 de dezembro de 2012

Andréa Neves recebeu R$ 650 mil do caixa 2 de Furnas para garantir curral eleitoral de Aécio Neves no interior de MG

Comentar a postagem
 Andréa Neves recebeu R$ 650 mil do caixa 2 de Furnas para garantir curral eleitoral de Aécio Neves no interior de MG
Irmã do senador Aécio e influente no governo dele em Minas (2003-2010), Andréa Neves é citada em declaração de caixa dois de estatal, registrada em cartório; dinheiro serviria aos candidatos a prefeito do interior nas eleições de 2002.

25 de Julho de 2011 às 17:39

Periciada pela Polícia Federal e reconhecida como autêntica, a “Declaração para Fins de Prova Judicial ou Extrajudicial” assinada pelo ex-presidente de Furnas Dimas Fabiano Toledo e registrada no 23º Ofício de Notas do Rio de Janeiro, em novembro de 2008, contém anexos com listas de nomes de políticos que receberam, segundo o declarante, verbas do caixa dois da estatal. Ele foi de extrema organização, não apenas na feitura das listas, mas, especialmente, na obtenção do dinheiro e no repasse aos políticos. Tanto que, pelo que informa no documento, havia até mesmo planilhas de desembolso feitas pelas campanhas eleitorais para justificar os gastos do dinheiro do caixa dois. A finalidade do repasse do dinheiro extraído ilegalmente da estatal era o financiamento de campanhas eleitorais no pleito de 2002.
Em relação a Minas Gerais, num papel timbrado de Furnas (documento original republicado acima), o então presidente Toledo registrou o seguinte:
“Minas Gerais – Candidato a Governador: Aécio Neves – Repasse direto: R$ 5.500,000,00”
Em seguida, um destaque e mais nomes:
“Valores repassados para o candidato a deputado federal sr. Danilo de Castro, distribuídos aos candidatos ao senado, conforme planilha de desembolso apresentada pelos seus coordenadores de campanhas-MG:
Eduardo Azeredo: R$ 550.000,00 (repasse coordenador); Hélio Costa: R$ 400.000,00 (repasse coordenador); Zezé Perrella: R$ 350.000,00 (repasse coordenador).”
Logo abaixo, a declaração prossegue:
“Outros valores repassados para o candidato a deputado federal sr. Danilo de Castro, destinado aos candidatos eleitos a deputados estaduais, federais e suas coligações. Valor: R$ 3.800.000,00. Marcio Rodrigues: R$ 40.000,00; Rafael Guerra: R$ 40.000,00; Eduardo Barbosa: R$ 35.000,00”.
Há, ainda, um último ponto sobre os repasses que Dimas fez questão de registrar em cartório – e este ponto faz menção direta a Andréa Neves, irmã do atual senador Aécio e integrante, no governo dele, do Grupo Técnico de Comunicação de Minas Gerais, onde se decidia a destinação das verbas publicitárias do governo estadual. A citação feita por Toledo em sua Declaração é a seguinte:
“Valor avulso repassado para Andréa Neves, irmã de Aécio Neves, para os comitês e prefeitos do interior do Estado-MG. Valor: R$ 695.000,00”.
No papel timbrado de Furnas, as informações entre aspas acima eram encimadas pela palavra “confidencial”.
Nos links, leia as notícias de 247, publicadas na sexta-feira 22 e na segunda-feira 25, a respeito do declarado em cartório caixa dois de Furnas: