Google+

sexta-feira, 28 de junho de 2013

Minas na contramão da Educação e Saúde

Comentar a postagem
Foram desviados mais de 15 BILHÕES!

Minas na contramão da Educação e Saúde

No Rogério Correia

quarta-feira, 26 de junho de 2013

CQC Mensalão Tucano: Azeredo é Pai e Aécio Neves Tio do mensalão do PSDB

Comentar a postagem
Guga Noblat estraga a festa de 25 anos do PSDB e 16 anos de impunidade

O repórter do CQC foi à festa de comemoração do partido para conversar sobre um

assunto indigesto: o mensalão tucano.
entrevista Ministros do STF Gilmar Mendes(O homem mais querido do PSDB),Ayres Brito, Dias Tofolli ,deputados ,o ex presidente do Partido Sergio Guerra e o garoto do Rio Aécio Neves PSDB de Minas seria o tio ou um primo de 2º grau do mensalão do PSDB , já que a campanha dele na época seria financiada pelo caixa dois .


O vídeo Acima foi censurado pelo PSDB e sua turma veja abaixo o vídeo integral

Mensalão Tucano - CQC from forapsdb on Vimeo.

Ato para o Julgamento do Mensalão Tucano
 https://www.facebook.com/events/565537313498069/?ref=2
O Link ABAIXO ,vamos moralizar a política de VERDADE, a lei é feita para todos
http://www.peticaopublica.com.br/PeticaoVer.aspx?pi=P2012N30265

terça-feira, 25 de junho de 2013

Apavorado, Aécio manda JN tirar do ar sua fala contra o povo na Constituinte

Comentar a postagem
 Apavorado, Aécio NEVES manda JN tirar do ar sua fala contra o povo na Constituinte
Após a presidenta Dilma lançar a proposta de consulta popular e Constituinte exclusiva para reforma política, o presidente do PSDB, Aécio Neves, reuniu-se com o presidente do DEM, Agripino Maia, e o presidente do PPS, Roberto Freire, os partidos de oposição, para dar uma entrevista conjunta para a imprensa.

Gravou para diversos canais de TV, com o microfone da Globo à frente.

De noite, no "Jornal Nacional" teve uma matéria contendo declarações da oposição. Apareceu José Agripino e Roberto Freire falando contra a participação popular e a constituinte proposta por Dilma. Os dois oposicionistas não querem mexer em seus privilégios e poderes.

E cadê o Aécio? Sumiu! O presidente do maior dos partidos de oposição foi cortado e não foi ao ar!

Conclusão: só pode ter sido cortado a pedido do tucano. O marqueteiro dele deve ter avisado que iria desgastar sua imagem batendo de frente com a proposta de Dilma que vai ao  encontro do povo. Deixou o desgaste para Agripino e Freire.

Em tempo: no Jornal da Record, Aécio sentiu a pancada. Apareceu nervoso, gaguejando, fazendo críticas sem pé nem cabeça.

Ah... reparem na cara de "alegria" de Agripino e Freire.

Leia também:
- Agora é oficial: Rede Golpe assume o papel de porta-voz de Aécio Neves

domingo, 23 de junho de 2013

Mensalão Tucano: juíza força prescrição dos crimes

Comentar a postagem
Marmelada mineira
Crimes do mensalão tucano podem prescrever em função das decisões burocráticas incomuns que a juíza do Tribunal de Justiça de Minas Gerais impõe ao processo envolvendo integrantes do PSDB
Josie Jeronimo
Há dois anos e meio, a Justiça de Minas Gerais recebeu a denúncia do chamado mensalão mineiro, esquema de desvio de recursos públicos que abasteceu o caixa de campanha de políticos do PSDB local e, tal qual o do PT, também era operado pelo publicitário Marcos Valério. De lá para cá, o processo transcorre em ritmo lento e os crimes imputados aos principais envolvidos caminham para a prescrição. É uma situação bem diferente da que se verificou no julgamento contra a cúpula petista, que já se encontra em fase de apresentação de recursos no STF. No processo mineiro, nem todas as testemunhas foram ouvidas e muitas não foram sequer intimadas. Dos 130 mandados expedidos até agora, apenas 75 chegaram às mãos dos destinatários. Contrariando o trâmite usualmente adotado pela Justiça, testemunhas que moram em oito cidades vizinhas a Belo Horizonte estão sendo ouvidas por carta precatória. Depoentes do município de Nova Lima, a 20 quilômetros da capital, por exemplo, foram acionados por correspondência, em vez de comparecer a audiências no Fórum Lafayette, no bairro Barro Preto, região central de Belo Horizonte.
chamada.jpg
OS RÉUS AGRADECEM
Esquema de desvio de recursos públicos que abasteceu o caixa de campanha de políticos do PSDB local, operado por Marcos Valério, só será julgado depois das eleições de 2014
Os advogados que atuam no processo atribuem a morosidade à atuação da titular da 9ª Vara Criminal do Tribunal de Justiça de Minas Gerais, a juíza Neide da Silva Martins. Utilizando métodos ultrapassados, a magistrada imprime ao julgamento do mensalão tucano uma dinâmica burocrática. Considerada ríspida no trato com advogados, Neide não aceita conversas de bastidor, chamadas ironicamente de “embargos auriculares”. Mas cedeu à pressão dos defensores e permitiu que arrolassem oito testemunhas por fato contido na denúncia do Ministério Público, em vez de oito por réu, como ocorre normalmente. Com isso, o rol de depoentes ultrapassou a marca de 100 pessoas, entre eles uma testemunha que mora nos Estados Unidos.
Sem pressa aparente para concluir o processo, Neide decidiu reservar apenas um dia da semana para analisar o caso. Nos outros, debruça-se sobre outros processos sob sua batuta. Para tornar o trâmite ainda mais lento, audiências de instrução são escassas e costumam ser desmarcadas no decorrer da tramitação. Na última sessão, do dia 7 de junho, a juíza estava afônica e cancelou a reunião. Formada em letras antes de cursar direito, Neide também aplica aos advogados do mensalão mineiro uma cartilha de padronização de texto, dando margem para os defensores ganharem mais prazo ao reformar peças fora das normas de estilo ditadas pela magistrada.
01.jpg
A burocrática condução do mensalão mineiro pela magistrada já produziu até folclores. No ano passado, Neide suspeitou que o advogado Leandro Bemfica, representante de Eduardo Guedes – ex-secretário do governo Eduardo Azeredo e responsável pela produção do programa nacional do PSDB –, estava piscando para uma testemunha. O objetivo seria o de conduzir o conteúdo do depoimento. A juíza arguiu o advogado, que saiu-se com esta: “Eu pisquei porque estamos apaixonados”, justificou. A juíza aceitou a explicação esdrúxula e seguiu com o depoimento. No esquema mineiro, Guedes tinha atuação semelhante à de Luiz Gushiken, ex-ministro absolvido no mensalão. À ISTOÉ, o advogado justificou a provocação atribuindo a história a um “incidente de audiência”. Ele afirma que a demora no julgamento prejudica seu cliente, profissional da área de comunicação. “Nós temos o maior interesse que seja julgado logo, porque meu cliente está sofrendo danos profissionais”, afirmou. Durante a semana, a ISTOÉ procurou a juíza por meio da assessoria do TJMG. Ela informou que não poderia falar sobre o processo, pois a ação ainda está em curso, e não respondeu às perguntas enviadas pela reportagem.
A lentidão do processo do mensalão mineiro se tornou cômoda para os advogados de defesa, pois parte dos réus pode ter a pena prescrita antes mesmo da sentença. Dependendo do tipo de pena, da idade dos réus e da necessidade de novas diligências provocadas por depoimentos de testemunhas, a possibilidade de prescrição de punição no mensalão mineiro é real. A expectativa é de que o processo só seja concluído após as eleições de 2014. Com base na denúncia do Ministério Público, o criminalista Guilherme San Juan Araújo analisou, a pedido da ISTOÉ, a situação dos 13 réus. San Juan verificou que, da maneira como transcorre o processo, dificilmente Cláudio Mourão – que no esquema petista poderia ser comparado ao tesoureiro Delúbio Soares – cumprirá pena. Como Mourão completará 70 anos em abril de 2014, automaticamente o prazo de prescrição – de crimes como peculato e lavagem de dinheiro – é reduzido à metade. Assim, se Mourão for condenado depois dessa data, os crimes imputados a ele já estarão prescritos. Isso já ocorreu com Walfrido Mares Guia, que fez 70 anos em 2013. Outros réus, como Eduardo Brandão, também podem se beneficiar do calendário, se, em recurso, a sentença for reformada. Os réus agradecem.
IEpag48e49_Marmelada-2.jpg

quinta-feira, 20 de junho de 2013

Porque Aécio não conta a verdade sobre as tarifas de ônibus

Comentar a postagem
Senador critica mas não informa que comanda o lobby nacional das tarifas das empresas de ônibus municipal, intermunicipal e interestadual
O Senador e presidente nacional do PSDB, Aécio Neves, utilizou uma rede social para afirmar: “São brasileiros de diversas partes do país se mobilizando, entre outras questões, contra o aumento de passagens, contra a baixa qualidade dos serviços públicos, de transporte”.
Evidente que é precisa e louvável a análise de Aécio esquecendo-se apenas de informar que sua carreira política sempre foi financiada pelos concessionários de ônibus, patrimônio herdado de seu pai (dep. Aécio Cunha - nota deste blog) que igualmente foi desde a década de 60, defensor dos interesses dos concessionários de ônibus.
No congresso nacional Aécio sempre defendeu os interesses das empresas de ônibus mantendo paralisado quando presidente da Câmara dos Deputados todos os projetos que visavam modernizar e moralizar o setor. Sendo inclusive sua a iniciativa para prorrogação sem licitação das concessões de linhas interestaduais e internacionais.
Foram durante os oito anos que Aécio governou Minas e os três de seu sucessor Anastasia que os concessionários de transporte de passageiros metropolitanos e interestadual conseguiram as maiores tarifas de sua história sem que fosse feito qualquer investimento que a justificasse. A frota da região metropolitana de BH está ai para atestar tal descaso.
O senador também não informou que por sua orientação as linhas metropolitanas e intermunicipais permanecem entregues a seis famílias através de uma simulada e fraudada licitação que já poderia ter sido anulada pelo MP se o processo não estivesse dormindo no TJMG, assim como o sindicato dos concessionários ganhou o direito de explorar e operar a bilhetagem eletrônica da RMBH sem que igualmente qualquer certame licitatório ocorresse.
Com certeza apostando no esquecimento da população esconde que seu financiador e vice-governador em 2002 foi Clesio Andrade, concessionário de ônibus, hoje senador e presidente da CNT Confederação Nacional do Transporte, envolvido nos maiores escândalos de corrupção do País.
A participação do senador Aécio Neves na defesa dos concessionários de ônibus é tão grande que na aliança celebrada entre o PSDB e PSB para eleger Marcio Lacerda ficou reservado para seu grupo a gestão da BHtrans, empresa municipal que sabidamente defende e representa os interesses dos concessionários de ônibus da capital mineira.
Quem fixa a tarifa, regulamenta e fiscaliza a qualidade do transporte de passageiros em Minas Gerais e o DER-MG autarquia do governo de Minas e na capital mineira o BHtrans, ambos administrados por integrantes do PSDB, escolhidos a dedo por Aécio Neves.
Se o senador quer contribuir para melhoria da qualidade assim como uma menor tarifa porque seu prefeito Marcio Lacerda e seu governador Antonio Anastasia não fazem o que o prefeito de São Paulo Fernando Haddad fez;
"Abrir a caixa preta da planilha que calcula a tarifa do transporte de passageiros. Haddad lembrou que, no custo da tarifa paulistana, o empresário entra com 10%, o poder público com 20% e o passageiro com 70%".
E agora Senador?
Documento que fundamenta a matéria:
Comentários do Aécio Neves no Facebook
No Novo Jornal

quarta-feira, 19 de junho de 2013

Repressão em BH e bravatas de Aécio em manifestação

Comentar a postagem
“O governador Antônio Anastasia (PSDB-MG) deixou seu tutor, Aécio Neves, pendurado na brocha. Pelo Facebook, o cambaleante presidenciável tucano tentou se aproveitar dos protestos contra o aumento das tarifas para fazer demagogia. Famoso por sua truculência, ele elogiou os manifestantes. "São brasileiros que enviam um recado à sociedade, em especial, aos governantes, e que precisam ser escutados", escreveu. Na sequência, a PM tucana de Minas Gerais reprimiu com violência o protesto no centro de Belo Horizonte.
Segundo reportagem do UOL, "cerca de 15 mil manifestantes que marchavam em direção ao Mineirão, em Belo Horizonte, no fim da tarde desta segunda-feira, foram parados em um bloqueio da Polícia Militar na avenida Presidente Antonio Carlos, a cerca de 200 metros da entrada da UFMG (Universidade Federal de MG)". A PM disparou balas de borracha e lançou bombas de gás. Pelo menos um ativista foi preso.
Em outro ponto da capital mineira, "homens da PM chegaram por trás e jogaram bombas de efeito moral. O grupo se dispersou e a polícia alvejou os manifestantes com balas de borracha a curta distância - um a cinco metros de distância. O estudante de geografia Gabriel Teles, 19, estava sentado no chão com uma faixa de protesto contra o aumento da tarifa e foi agredido por golpes de cassetete. Um grupo de moradores de um prédio saiu pela janela e começou a gritar palavras de ordem contra a PM, classificada como 'covarde'".
Os professores de Minas Gerais e os trabalhadores de outras categorias, que já apanharam muita da polícia tucana do estado, já conhecem a conversa fiada do cambaleante presidenciável tucano. Ela tenta se travestir de democrata, mas não tolera qualquer protesto social. Aécio Neves também adora bravatear em defesa da liberdade de expressão, mas controla como um ditador a mídia local. Ele deveria avisar o seu filhote no governo estadual antes de escrever bravatas pelo Facebook.”
Altamiro Borges

Polícia Civil se junta a manifestantes em BH e alerta turistas sobre falta de segurança

Cerca de 12 mil manifestantes se reuniram, no início da tarde desta segunda-feira (17), na praça Sete, região Central de Belo Horizonte, e protestam contra o preço das passagens de ônibus, os gastos com as Copas do Mundo e a repressão. 
Membros da Polícia Civil de Minas Gerais se juntaram ao grupo, com mensagens surpreendentes escritas em diferentes idiomas.
Turista, em Minas Gerais você não está seguro culpa de Aécio Neves
Foto: Reprodução/ Facebook Bruno Rabelo
“Tourist, in Minas Gerais State we cannot ensure your safety! The police is scrapped!”, que na tradução livre significa: “Turista, em Minas Gerais nós não podemos garantir a sua segurança. A polícia está sucateada” e  ”Turista. En Minas Gerais usted no está seguro!!!”, em português, “Turista, em Minas Gerais você não está seguro!!!” são frases usadas pelos policiais.
Tourist, in Minas Gerais State we cannot ensure your safety! The police is scrapped!
Foto: Reprodução/ Facebook
No BHAZ via Contexto Livre

Aécio contra o Mercosul é caminho para desindustrializar o Brasil e dar adeus ao BRICS

Comentar a postagem
Em entrevista a jornal argentino, candidato tucano a presidente, Aécio Neves se mostra ainda aliado ao Consenso de Washington
 
O senador Aécio Neves (MG), pré-candidato a presidente da República em 2014, em entrevista ao jornal La Nación, da Argentina, sinalizou que seu plano é esvaziar o Mercosul, e fazer outros tratados de livre comércio.
O tucano declarou: "Estamos muito preocupados com o que acontece hoje no Mercosul, que está muito engessado. Duvidamos se a união aduaneira é ainda o melhor caminho (...) Não devemos perder as alianças comerciais do Brasil com a Argentina, mas temos de transformar o Mercosul em uma área de livre comércio, que permita a cada Estado associado firmar acordos comerciais com outros países. (...) Temos de ter coragem de repensar e revisar o Mercosul. Neste sentido, a Aliança do Pacífico, constituída pelo México, Colômbia, Peru e Chile é um exemplo de dinamismo".
A declaração remete a antigas propostas dos anos 1990 como a Área de Livre Comércio das Américas (Alca), projeto hegemônico dos EUA que, se implementado nos moldes entreguistas propostos, impediria o desenvolvimento nacional – e dos demais países do continente – por décadas.
Nas eleições de 2010, o então candidato tucano, José Serra, também disse a mesma coisa que Aécio diz agora. Os tucanos se deslumbram com o Chile. Porém, para haver acordos vantajosos é preciso haver sinergia nas trocas comerciais entre dois ou mais países. O Mercosul tem a sinergia da integração sul-americana, onde todos se desenvolvem juntos.
O Chile não tem grandes problemas em fazer acordos comerciais com grandes países industrializados porque exporta minérios, frutas, salmão, vinhos, celulose, metanol, produtos químicos e insumos agrícolas. Não tem nem um parque industrial a competir com outros países grandes, nem um mercado interno gigante e em expansão como o brasileiro. O Brasil deve ter soberania na dosagem de abertura em setores da economia, de acordo com o interesse nacional, em vez de submeter-se a tratados escritos por estrangeiros.
O ex-presidente Lula, apesar de ter encontrado o Brasil em situação delicada e dependente do FMI em 2003, resistiu às pressões, refutou a Alca, revigorou o Mercosul e pela via diplomática abriu mercados com todas as partes do mundo, ampliando as exportações brasileiras. A presidenta Dilma deu continuidade à sua política externa e, hoje, a Organização Mundial do Comércio (OMC) é conduzida por um brasileiro.
As propostas do tucanato podem enterrar toda a geopolítica exitosa construída nos últimos dez anos. E se voltar aquela política do governo FHC de submeter-se ao chamado Consenso de Washington, do qual o livre comércio imposto pelos países imperialistas faz parte, o Brasil acabará ficando para trás. E aí, adeus ao "B" dos Brics (sigla dos principais países emergentes: Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul).
 

domingo, 9 de junho de 2013

“Hoje, o meu dia mais triste: desisti de ser professor do Estado”

Comentar a postagem
Carta enviada pelo professor Juvenal Lima Gomes, da rede pública estadual de Minas Gerais.


"Hoje tive o dia mais triste como professor. Não estou me referindo a nenhuma indisciplina ou necessariamente a baixo rendimento escolar de meus alunos.  

SOLICITEI A MINHA DISPENSA NA REDE PÚBLICA ESTADUAL DE MINAS GERAIS  e fui surpreendido pelos meus alunos.     
Como sou muito exigente, muitas vezes coloco fardos pesados sobre meus alunos. Acreditava que a minha saída na transição dos bimestres seria encarada apenas como mais uma das tantas mudanças corriqueiras que ocorrem na Escola.

Estava enganado. Fui surpreendido pelo choro mais desolador que já vi em toda a minha vida. Minha maior tristeza foi pensar que eu poderia ser responsável por esse choro.
Jamais pensei que meus  ALUNOS DA REDE PÚBLICA ESTADUAL DE MINAS GERAIS  fossem chorar por minha saída.
Preocupado com o que eu diria paraeles como motivo, preferi a verdade.  ESTOU SAINDO PORQUE NÃO CONSIGO ME SUSTENTAR NA REDE PÚBLICA ESTADUAL DE MINAS GERAIS.  Como são crianças, muitas não entenderam o que eu queria dizer e me responderam novamente com o choro mais desolador que já vi ou causei em toda a

minha vida.

 “PROFESSOR NÃO NOS ABANDONE”! 
A criança não entende a opção que nós professores fazemos quando abandonamos a sala de aula. Uma de minhas alunas gritou: “Vou me mudar para a escola onde o senhor vai continuar como professor”. Nessa hora engasguei o choro e me perguntei como poderia ser isso? Se a maioria de nós no Brasil e na  REDE PÚBLICA ESTADUAL DE MINAS GERAIS  não dispomos de recursos para bancar o ensino privado.
Algumas crianças se puseram na porta e tentavam impedir minha saída, sem palavras e assustado com o choro e o pedido de que não as “abandonasse”, restou-me recolher na solidão de meu objetivo racional e deixar a sala com crianças chorosas como nunca vi a se despedirem com o olhar que jamais esquecerei, do professor que  NÃO CONSEGUIU SE SUSTENTAR NA REDE PÚBLICA ESTADUAL DE MINAS GERAIS.      
Eu poderia recolher-me na vaidade, em pensar que sou um bom professor e que vou conseguir o melhor para mim.
Entretanto, sei que hoje a exemplo do que ocorreu comigo,  DEZENAS DE OUTROS PROFESSORES DEIXARAM A REDE PÚBLICA ESTADUAL DE MINAS GERAIS POR NÃO CONSEGUIREM SE SUSTENTAR, ASSIM COMO TAMBÉM DEZENAS DE CRIANÇAS CHORARAM AO SE DESPEDIREM DE SEUS PROFESSORES.  
Resta-me na revolta implorar a todos os mineiros e brasileiros que lerem essa carta.
PELO AMOR DE DEUS! NÃOACREDITEM NA EDUCAÇÃO FAZ DE CONTA DO GOVERNO DE MINAS GERAIS. O ESTADO FAZ DE CONTA QUE REMUNERA SEUS PROFESSORES, PROFESSORES INFELIZMENTE FAZEM DE CONTA QUE ENSINAM, ALUNOS FAZEM DE CONTA QUE APRENDEM E ATORES GLOBAIS FAZEM DE CONTA QUE FALAM DA MELHOR EDUCAÇÃO DO PAÍS.
O episódio dessa carta ocorreu NO DIA 18 DE ABRIL DE 2013 NA ESCOLA ESTADUAL BARÃO DO RIO BRANCO EM BELO HORIZONTE. Infelizmente ocorreu também em dezenas de Escolas do Estado de Minas Gerais.  
ENQUANTO O GOVERNO DE MINAS PAGA MILHARES DE REIAIS A ATORES GLOBAIS PARA MENTIREM SOBRE A EDUCAÇÃO NO HORÁRIO NOBRE, NOSSAS CRIANÇAS CHORAM OS SEUS PROFESSORES QUE ESTÃO SAINDO PORQUE NÃO CONSEGUEM MAIS SE SUSTENTAR NO ESTADO.     
Prof. Juvenal Lima Gomes     
EX-PROFESSOR DA REDE PÚBLICA ESTADUAL DE MINAS GERAIS"


O que você pensa desta carta? Qual a sua opinião a respeito da remuneração dos professores? Quais soluções poderiam ser implantadas para possibilitar uma melhor remuneração e um melhor nível na educação pública? Por que existe o foco propagandístico no Governo usando da verba pública? Trata-se de um desperdício e de uma forma de manipulação dos cidadãos com o dinheiro dos próprios?

Lígia Ferreira é analista de sócio-mecanismos.

Com informações de Géledes e Pragmatismo Político. via Folha politica

sábado, 8 de junho de 2013

Aécio Neves um garoto sem programa irrita PIG

Comentar a postagem
Comentário do insuspeito José Neumanne Pinto - SBT, o que não deixa de ter razão, ele em vez de apresentar propostas , usa o tempo atacado os rivais.

quinta-feira, 6 de junho de 2013

MG: Ministério Público quebra blindagem e instaura processo contra Aécio Neves

Comentar a postagem
margaridasalomaoprjoao
Os deputados federais mineiros Margarida Salomão (PT) e Padre João (PT) avaliaram positivamente nesta quarta-feira (5) a decisão do Ministério Público Estadual (MPE) de Minas Gerais de instaurar inquérito civil para apurar fatos envolvendo repasses de verbas publicitárias do governo do estado para a Rádio Arco-Íris (Jovem Pan BH).
A empresa de comunicação tem como sócios o senador Aécio Neves (PSDB-MG) e sua irmã Andrea Neves. O período investigado pelo MPE é de 2003 a 2010, período em que o senador ocupou o cargo de governador.
A Rádio São João Del Rei S/A e a Editora Gazeta de São João Del Rei Ltda, que também receberam recursos públicos durante a gestão de Aécio Neves no governo de Minas, serão investigadas. Essas empresas pertencem a Andrea Neves, atualmente presidente do Serviço Voluntário de Assistência Social (Servas).
“As forças democráticas do Estado comemoram essa ação do MPE como uma vitória. Embora o Ministério Público esteja cumprindo o seu dever, esse ato constitui uma quebra, uma ruptura da blindagem, que tanto Aécio como sua irmã Andrea têm desfrutado”, disse a deputada Margarida Salomão. De acordo com Margarida, do ponto de vista institucional, ocorre um “eco” que reflete as preocupações do povo mineiro. “Estamos convencidos de que a Justiça mineira vai cumprir o seu dever”, enfatizou Margarida Salomão.
Ainda segundo a deputada, a movimentação do Ministério Público cria expectativa na sociedade de elucidação dos fatos que envolvem a figura de um ex-governador, hoje senador, e da irmã dele, então gestora de Comunicação Social do Governo. “Ela (Andrea) é quem definia para onde iam as verbas publicitárias. Aqui nós temos uma relação incestuosa do público com o privado. A rádio recebeu recursos públicos (alega o senador que de forma legal) e os destinou para, entre outras coisas, comprar um Land Rover que o ex-governador fazia uso privado. Essas coisas têm causado indignação na opinião pública mineira”, salientou a petista.
Indiferença 
Para o deputado Padre João, a Justiça mineira começa a acordar diante de tantas denúncias que envolvem Aécio Neves e membros da família dele. “O Ministério Público tem um papel importante, no entanto, eles ficaram indiferentes durante quase 10 anos em relação ao desvio do dinheiro público praticado na gestão tucana. Nós acreditamos nesse despertar do MP. Espero que ele cumpra, de fato, o papel a ele delegado. O povo não pode ser punido com a má destinação ou desvio de recursos público”, observou .
O parlamentar petista relatou que, à época, a Assembleia Legislativa de Minas Gerais tentou instalar uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar o caso, mas, segundo ele, foi barrada pelos defensores do governo tucano de Aécio Neves. “Minas é um estado governado por Lei Delegada, aniquilando o Poder Legislativo. Houve tentativa de CPI que foi impedida. Cabe ao MP e ao Judiciário ir a fundo na investigação, levantar todos os valores e punir, não só o senador, mas os responsáveis que ilegalmente receberam dinheiro público”, defendeu o deputado Padre João.
Os fatos 
A parceria comercial entre Aécio e a Rádio Arco-Íris só foi descoberta porque o senador foi parado em operação policial na cidade do Rio de Janeiro, em abril do ano passado, e teve a carteira de habilitação (vencida) apreendida ao recusar o teste do bafômetro. O senador era o condutor de um veículo Land Rover, de propriedade da Rádio Arco-Íris (Jovem Pan FM-BH), emissora que recebe regularmente recursos públicos do Estado de Minas Gerais.
Benildes Rodrigues
No PT na Câmara
Bandeira Minas gerais bessinha