Google+

sexta-feira, 29 de julho de 2016

Derrotado em 2014, Golpista Aécio Neves vai ao Palácio do Planalto usurpado pelo golpista Temer e dispara: “Precisava respirar esse ar”

Comentar a postagem

Derrotado em 2014, Golpista Aécio Neves  vai ao Palácio do Planalto e dispara: “Precisava respirar esse ar”

O senador, que chegou a apoiar uma auditoria na contagem dos votos das eleições de 2014 por não aceitar a derrota, entrou essa semana no palácio que almejava trabalhar para um encontro com Golpista Michel Temer

Da Revista Fórum

O senador Golpista Aécio Neves (PSDB-MG) se reuniu, na última quarta-feira (27), com o Golpista usurpador  interino Michel Temer no Palácio do Planalto – sede oficial do gabinete do presidente da república – em Brasília. O tucano, que já almejou trabalhar lá ao se candidatar para as eleições presidenciais de 2014, demonstrou que ainda sente essa vontade.

“Precisava respirar esse ar”, teria afirmado o candidato derrotado pela presidenta eleita legitima pelo voto popular Dilma Rousseff há pouco mais de um ano e meio ao ser questionado sobre o motivo de sua presença no Palácio.

Aécio Neves demorou para aceitar o resultado das eleições. Na mesma semana em que foi constatada a vitória de Dilma, o tucano apoiou uma auditoria e uma recontagem de votos por não acreditar que havia perdido. Feita a auditoria e confirmada a vitória da petista, Aécio passou a apoiar projetos de impeachmet e a comparecer em manifestações contra o governo.

*Com informações da Coluna do Estadão via nao deu no Jornal nacional 

terça-feira, 12 de julho de 2016

Relatório da PF revela relação da Andrade Gutierrez com Aécio Neves

Comentar a postagem
Relatório com análise de mensagens do ex-presidente da empreiteira Otávio Azevedo destaca conversas sobre valores destinados a uma associação presidida pela irmã do senador, Andrea Neves, e troca de mensagens com Oswaldo Borges, ex-presidente da Companhia de Desenvolvimento de Minas Gerais, apontado como tesoureiro informal do tucano

Em relatório anexado ao inquérito da empreiteira Andrade Gutierrez, a Polícia Federal analisou as informações contidas em celulares apreendidos com o ex-presidente da construtora, Otávio Marques de Azevedo. No documento, a PF destaca conversas sobre valores destinados a uma associação presidida pela irmã do senador Aécio Neves, Andrea Neves, e troca de mensagens com Oswaldo Borges, ex-presidente da Companhia de Desenvolvimento de Minas Gerais, e apontado como tesoureiro informal do tucano.

Aécio atualmente é alvo de dois inquéritos do Supremo Tribunal Federal no âmbito da operação Lava Jato. Em sua delação, Otavio Marques de Azevedo não delatou qualquer tipo de pagamento de propina ou fraudes praticadas em licitações à época que o tucano era governador de Minas Gerais.As conversas com Borges, apontado como um tesoureiro informal do senador tucano, são de agosto de 2014, em meio a campanha presidencial na qual o senador golpista Aécio Neves concorreu com a presidenta Dilma Rousseff. Em 27 de agosto, Oswaldo pergunta a Otávio se era possível “falar na quinta às 19h em Sp”.

Dois dias depois, Otavio responde: “Já foi feito”. Oswaldo agradece no mesmo dia: “Obrigado Otavio. Com vc funciona!!!rsrs”.


“Destaca-se mensagens de Otávio Marques e Oswaldo Borges da Costa e Otávio Marques e +556981266901 analisadas em conjunto pois é possível que estejam relacionadas à doações eleitorais”, informa o relatório da PF. Ainda segundo o agente federal Di Bernardi, autor do relatório, as “mensagens aparentemente contradizem o Termos de Declaração de Otávio no tocante a forma como se davam as doações eleitorais”.
“Observa-se que tanto na mensagem para Manoel Araujo como na mensagem para Oswaldo Borges, Otávio encaminha, praticamente no mesmo horário do dia 29/08/2014, a mensagem “Já foi feito”, sendo que ambos agradecem. Informações em fontes abertas associam Oswaldo Borges da Costa Filho à Aécio Neves (seria genro do padrasto de Aécio108)”, completa o relatório.

Andrea Neves

Apontada como braço-direito do senador, Andrea Neves aparece no relatório da Polícia Federal por ter presidido a associação civil Servas – Serviço Voluntário de Assistência Social. No dia 22/11/2012, Otávio recebe mensagem de Jose Augusto Figueira, então suplente do conselho de administração da Oi e presidente da Oi Futuro.

Na mensagem, Figueira informa a Otávio que ele possui saldo de R$ 1,5 milhões e que “para o Servas reservara, 160 ou 320 mil e que aguarda retorno asap”. Além de apontar a existência da associação mineira, presidida entre 2003 e 2014 por Andrea Neves, a Polícia Federal salienta que dada a proximidade das datas é possível que o assunto Servas tenha relação com uma reunião realizada um dias antes.


Relatório da PF revela relação da Andrade Gutierrez com Aécio Neves
Essa reunião, conforme revelam mensagens analisadas pela PF, foi agenda no dois dias antes da conversa sobre o Servas. Em mensagem do dia 20, interlocutor identificado como Major Braga (Aécio) enviou a seguinte informação para o ex-presidente da Andrade Gutierrez: “Boa noite Dr Otávio! A pedido do Senador Aécio Neves preciso falar com o senhor! Obrigado, Major Braga”.

Minutos depois, Major Braga envia outra mensagem: “Dr Otávio, Senador Aécio Neves pede para avisar que irá dormir na residência da mãe dele, Sra. Ines Maria. Reunião amanhã transferida para o endereço, Rua Prefeito Mendes Moraes, nr 1100 / Cobertura – RJ”.

Segundo a PF, mesmo após a troca do local do encontro, Otávio “confirma o recebimento” e diz que “estará lá no dia seguinte”.

quarta-feira, 6 de julho de 2016

Odebrecht e OAS delatam Aécio Neves com prazer

Comentar a postagem
Odebrecht e OAS delatam Aécio Neves com prazer
Informação é da colunista Mônica Bergamo; segundo ela, tanto Marcelo Odebrecht como Léo Pinheiro, ex-presidentes da Odebrecht e da OAS, avaliam que o senador golpista  Aécio Neves (PSDB-MG) tocou fogo no circo imaginando que a Lava Jato atingiria apenas o PT – e não todo o sistema político brasileiro, levando junto as empreiteiras; Pinheiro já mencionou a cobrança de propina de 3% nas obras da Cidade Administrativa de Minas Gerais e Marcelo também citará Aécio em seu acordo; o tucano José Serra também estaria sendo delatado, mas com maior parcimônia, segundo a colunista

Minas 247 A jornalista Mônica Bergamo informa que o senador Aécio Neves (PSDB-MG), presidente nacional do PSDB, está sendo delatado "com prazer" pelas empreiteiras Odebrecht e OAS, as duas maiores do País.
"De acordo com integrante da equipe que acompanha as delações, tanto executivos da Odebrecht quanto Léo Pinheiro, da OAS, acham que Aécio colocou fogo na Operação Lava Jato porque imaginava que ela só atingiria o PT. Pouco teria se importado com as empreiteiras", diz ela. "Recados enviados inclusive por Marcelo Odebrecht, que dizia ser amigo do tucano, teriam sido desprezados pelo mineiro."
Tanto Marcelo Odebrecht como Léo Pinheiro, ex-presidentes da Odebrecht e da OAS, avaliam que o senador Aécio Neves (PSDB-MG) tocou fogo no circo imaginando que a Lava Jato atingiria apenas o PT – e não todo o sistema político brasileiro, levando junto as empreiteiras.
Pinheiro já mencionou a cobrança de propina de 3% nas obras da Cidade Administrativa de Belo Horizonte, nova sede do governo mineiro, e Marcelo também citará Aécio em seu acordo.
O tucano José Serra também estaria sendo delatado, mas com maior parcimônia, segundo a colunista, porque não teria incentivado a destruição das construtoras, como teria sido o caso de Aécio.